Ciranda da Bailarina

3 07 2013

Ciranda BailarinaHoje eu teria vários assuntos para alimentar esse texto: corre-corre danado no trabalho, problemas para me comunicar com os funcionários da empresa, escolha do melhor plano de saúde, avaliação de desempenho, desejo gritante por chocolate (que eliminei do meu cardápio), ficar presa no trânsito devido a manifestações, desconfiar de pessoas que eu queria muito confiar, mas por ter um zilhão de coisas na minha cabeça (fértil demais), reconheço, com humildade que quero escrever, mas estou sem ideia por onde começar… Afinal, sei que isso acontece até com os escritores de verdade, porque não haveria de passar comigo que apenas brinco de escrever?

Passei bons minutos olhando a tela branca e o cursor piscando e a única coisa que me ocorreu foi que eu deveria começar a anotar as coisas que eu penso. Sendo assim, na minha desconexão de assuntos e inspiração aflorada, o texto seguirá conforme meus pensamentos… (Nem todos os pensamentos, claro).

Escrever sobre as manifestações? Bem, ontem por ter sido prejudicada como uma paralisação na Via Dutra, fiquei com uma “puta” raiva disso (me perdoem a expressão da palavra), mas antes de mais nada: não, eu não sou contra a manifestação que encheu as ruas e deu fôlego a nossa democracia, também não vou falar da falta de foco, afinal, não falta foco, o que sobra, na verdade, é problema. Educação precária, excesso de tarifa (cujo dinheiro vai pra onde mesmo?), saúde em colapso, transporte terrível (mas caro) e, na minha opinião, o principal: políticos que se esqueceram de que são representantes do povo e que só estão no Congresso pra resolver problemas próprios. Concordo! Mas prejudicar as outras pessoas que também querem mudar o país interditando vias de acesso, não é legal. Façam uma manifestação na praça, num local que não prejudique os demais, mas paralisar geral, certamente é uma via de mão dupla. Eu, irresponsavelmente consegui voltar para Caçapava com os famosos “gatos” na estrada, mas e aqueles caminhoneiros que precisam fazer uma entrega, que já estão horas a fio sem dormir? E aquelas pessoas com crianças no carro, outras cansadas do trabalho? Merece uma reflexão, não acham?

Mas, prefiro não me aprofundar nesse assunto, já que posso despertar os ânimos dos que vestem totalmente a causa… Sendo assim, volto a falar dos meus outros pensamentos…

Comecei o ano prometendo a mim mesma que eu seria o dobro mais responsável e não deixaria nada para última hora. Mas é incrível a quantidade de outras coisas mais interessantes que aparecem para serem feitas naquele tempo que estava reservado para resolver outros assuntos. E como o problema pode ser resolvido na próxima semana, porque não deixar para depois? E assim vai, fica para depois até ser o dia que precisa ser resolvido e você precisa ficar até de madrugada com ideias a mil. Ai você dorme pouco, fica cansada, mas não pode dormir cedo no dia seguinte para compensar a noite mal dormida, pois já tem outro assunto de última hora e você precisa resolver. E de noite mal dormida em noite mal dormida, surge o famoso cansaço acumulado! Maldito cansaço…

Óbvio que, conforme a psicóloga da empresa Flávia Saad é mais fácil esquecer naquele determinado momento para pensar numa solução mais sensata depois. Mas quem disse que nossa cabeça tem um botão reset?

O problema desse cansaço é que ele te impede de fazer o melhor que você poderia fazer, nesse assunto lembro do meu querido professor Cristiano Magalhães que sempre cobrava de mim o melhor… E, como o que eu aprendo, costumo aplicar, deixo de fazer o mediano e me privo de dormir um pouco mais procurando fazer o melhor, o que me deixa mais cansada. E isso, é em tudo! Seja no meu trabalho de coordenadora, seja nos textos que escrevo para a Editora Abril, seja no meu trabalho com fotografia… E de melhor em melhor, tenho um pequeno acumulo de trabalho!

Sei que sou falha nisso! Apesar de sempre cumprir prazos reconheço que preciso de certo planejamento. Bem, mas pra ser sincera, não conheci até hoje uma jornalista, uma estudante ou uma funcionária da equipe administrativa que chegasse ao final de um fechamento por exemplo, sem trabalhos acumulados. A que mais se aproxima dessa perfeição é minha amiga Cidinha Pimenta, que antes mesmo de comunicar aos demais que preciso do trabalho deles para concluir o meu, ela prontamente me responde: “Tudo Fechado Katita!” Aff… Se toda a equipe fosse assim estaria nadando no mar de rosas…

Mas voltando ao assunto, se alguém conhecer, alguém desse nível, por favor, me apresente, preciso fazer um intensivo e entender como é essa vida de uma pessoa organizada. Nossa, tudo deve ser tão mais fácil, mais bonito, mais colorido! Essa pessoa deve ter até a pele mais macia, até porque consegue dormir 8 horas por noite! Ah, e também não tem olheiras, está sempre de bom humor, não tem stress, não passa mal de nervoso antes de apresentar um trabalho, até porque domina a matéria completamente, não tem gastrite e ainda consegue arrumar em sua agenda super organizada, momentos para visitar alguns amigos!

Lembrei da canção Ciranda da Bailarina… Tenho certeza que Chico Buarque diria que essa pessoa é uma bailarina, mas vai por mim, já fiz balé e posso afirmar, Chico Buarque mentiu para todos nós!

Anúncios

Ações

Information

One response

16 07 2013
Raquel Silva

…Tudo poderia ser do jeitinho que a gente imagina…adorei

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: